Promoção Grátis

domingo, 1 de novembro de 2009

Grupo somali com os laços da Al Qaeda ameaça Israel

Um grupo militante islâmico associados com a Al Qaeda pela primeira vez, ameaçou atacar Israel, longe de sua base normal das operações na Somália.
Al-Shabab, que está lutando para controlar o país do Leste Africano, acusou Israel de "começar a destruir" a mesquita de Al Aqsa, onde impasses ocorridos recentemente entre policiais israelenses e palestinos. A mesquita é parte do complexo que os judeus chamam de Monte do Templo e os muçulmanos chamam Haram al-Sharif.

"Os judeus começaram a destruir partes da mesquita sagrada de Al-Aqsa e eles rotineiramente matar nossos irmãos palestinos, por isso estamos empenhados em defender os nossos irmãos palestinos", disse Mukhtar Robow Abu Mansur, um proeminente comandante do Al Shabab.

A ameaça era parte de uma série de sermões inflamados entregues depois das orações de sexta-feira no sudoeste de Baidoa Somália. Al-Shabab controla a região, que faz parte de um país que está sem um governo efetivo nacional de quase 20 anos.

Outros líderes do grupo também ameaçou Israel, A primeira vez que o grupo é conhecido por ter feito isso.

"Vamos transferir e expandir a nossa luta no Oriente Médio, para que possamos defender a mesquita de Al Aqsa dos israelenses", Al-Shabab comandante Abdifatah Aweys Abu Hamza disse em Mogadíscio, a capital somali.

Ele é aparentemente o líder da Al-Shabab novo grupo armado que se autodenominam "Mujahedin Al-Aqsa", ou "Al-Aqsa Guerreiros Sagrados", o que eles disseram é atribuído a atacar Israel.

Não está claro se o Al-Shabab tem a capacidade de realizar as suas ameaças contra Israel.

Mas Rashid Abdi do International Crisis Group, avisou que o grupo deve ser levado a sério.

"Nós não devemos subestimar a capacidade da Al-Shabab, disse ele. "Esta é uma organização mortal, um adversário formidável."

Abdi disse que o grupo tinha sido mutação de um grupo nacionalista para uma organização terrorista mais como Al Qaeda, Que estava por trás do 11 de setembro de 2001 ataques contra os Estados Unidos.

"Se você olhar para a retórica e da linguagem e se você olhar os sites, se você ouvir seus pregadores ou seus estudiosos falam, é completamente indistinguível de líderes da Al Qaeda", disse Abdi.

O grupo também se tornou mais vicioso na Somália, um local especialista em direitos humanos, disse.

"As violações mais horrível e violações dos direitos humanos são cometidos pela Al-Shabab," ativista disse Sheikh Hassan Shire. "Eles também têm medo instilado. Eles só tiro, matam, mutilam e chicote."

O grupo também ameaçou vizinhos Africano na sexta-feira, incluindo a Etiópia, Djibuti, Quênia, Eritréia, Gana, Sudão e Uganda. Eles têm, no passado, ameaçado Africano das Nações que fornecem as tropas de paz para o país devastado pela guerra.

Os E.U. State Department Country Reports on Terrorism partir de Abril de listas de Al-Shabab como uma organização terrorista e culpa-lo por tiroteios e atentados suicidas no interior da Somália. Ela não lista o grupo ter realizado a violência fora da Somália, mas diz que alguns membros do grupo tem treinado e lutou ao lado da Al Qaeda no Afeganistão.

A Somália está mergulhada no caos desde 1991, quando os senhores da guerra derrubaram o ditador Mohamed Siad Barre e provocou brigas clã brutal.

O governo de transição tem lutado para estabelecer a autoridade, contestada por grupos islâmicos como a Al-Shabab, que tomaram o controle de Mogadíscio e boa parte do sul.

Fonte: CNNAfrica / Web Rádio Gospel
Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

0 comentários: on "Grupo somali com os laços da Al Qaeda ameaça Israel"

Postar um comentário

Postagens populares