Promoção Grátis

terça-feira, 11 de maio de 2010

Vaidade infantil pode ser saudável mas perigoso

As crianças de hoje são mais espertas. Têm mais estímulos, são mais antenadas. Isso é um fato observado por pais, mães, educadores e a sociedade, em geral. Como consequência, elas acabam tornando-se mais precoces em muitos aspectos. As meninas, por exemplo, estão cada vez mais “adultas”, adotando figurinos e comportamentos, até então, típicos de adolescentes.
O mercado voltado para o público infantil já percebeu essa mudança de padrão. Por isso, toda hora há lançamentos de produtos de beleza, como hidratantes, leave-in (creme para os cabelos) e maquiagem, até de serviços como salão de beleza. Segundo especialistas, criança vaidosa é saudável, pois cuida melhor da higiene, dos cabelos e dos dentes. E não há nada de errado em usar, esporadicamente, maquiagem e esmaltes. Faz parte do universo infantil se espelhar nas mães e nas princesas dos contos de fada.
Para a psicóloga Elizabeth Brandão, da PUC-SP, o problema é quando a vaidade extrapola o bom senso.

- A vaidade faz mal quando é excessivamente estimulada pelos pais, quando a criança deixa de brincar para não sujar a roupa ou para não despentear o cabelo.

Mara Pusch, psicóloga e consultora de imagem da Unifesp, concorda com a colega.

- Em muitos casos, as mães exigem que as filhas tenham um comportamento que não condiz com a idade, como criar uma rotina em que elas vão à manicure toda semana.

Essa pressão social pode, em muitos casos, causar uma insatisfação crônica, levando a criança a viver da aparência, de acordo com Mara.

- As meninas recebem muito mais estímulos, há muito mais oferta nessa questão da beleza do que os meninos. A questão é como os pais vão lidar com isso. Ir à manicure de vez em quando, se maquiar, encarar isso como uma brincadeira é normal.

Dia de princesa

De olho nessas “princesas”, a empresária Juliana Monteiro inaugurou em 2003, junto com as irmãs, o Glitz Mania, um salão de beleza especializado em crianças. Com unidades nos shoppings Bourbon e Villa-Lobos, em São Paulo, o Glitz atende também “príncipes” – que saem de lá com os cabelos coloridos e arrepiados com gel.

Juliana diz que havia pouca opção de serviço de beleza para as crianças, que acabavam cortando os cabelos nos salões frequentados pelas mães, tarefa que se tornava chata e desgastante para os pequenos.

- Mais do que apenas cortar os cabelos, queríamos proporcionar uma experiência bacana às crianças. A ideia é mostrar para elas que vir ao salão é um programa legal.

O ambiente foi todo pensado para atender aos pequenos, e os funcionários foram treinados para lidar com esse público diferenciado. Afinal, não é em todo lugar que a menina sai com trancinhas, fitas coloridas, fivelas, cabelos cheios de brilho, unhas decoradas com florzinhas e maquiagem suave. Uma verdadeira princesa. As crianças adoram.

É o caso de Yasmim Pereira Nociti, sete anos. Ela é cliente do salão desde o seu primeiro corte, quando recebeu um diploma com uma mecha do cabelinho recém-cortado.

- Eu adoro vir aqui. Toda vez que corto as pontas do cabelo, faço um penteado. E sempre que meu irmão vem cortar o dele, eu aproveito e pinto as unhas.

A pequena Isabela Zimmermann, dois anos, também já se acostumou aos mimos do salão. Andréa, mãe da garotinha, diz que foi ela que pediu para levá-la para cortar a franja.

- Ela acha o máximo vir aqui e sempre sai com um enfeite no cabelo.

Se para algumas mães esse tipo de passeio não é visto com bons olhos, pois acham que criança tem de brincar e não se preocupar com a aparência, para a psicóloga Elizabeth Brandão, da PUC-SP, não há problema algum.

- Se enfeitar em um salão de beleza é uma delícia, muito divertido. O bacana das crianças é que elas podem viver vários papéis. Assim como elas se embonecam em um dia, no outro estão todas desarrumadas. Isso é saudável. O que não pode é esse tipo de passeio tornar-se rotineiro, semanal.

Comemorar o aniversário com as amigas no Glitz também faz sucesso entre as meninas. Eles oferecem pacotes que incluem o bolo, refrigerantes, penteado, manicure e maquiagem.

Há empresas especializadas em fornecer o serviço de cabeleireiro em festas realizadas em buffets ou em casa, onde é montado um camarim de onde as crianças saem transformadas.

Os pais devem começar a se preocupar quando o desejo de amadurecer antes do tempo torna-se algo fora de controle, até mesmo um sofrimento para os filhos. Aí é hora de trazer a criança à realidade e mostrar que a infância deve ser vivida intensamente, e que tudo tem o seu tempo.

Fonte: R7 / http://webradiogospel.com.br
Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

0 comentários: on "Vaidade infantil pode ser saudável mas perigoso"

Postar um comentário

Postagens populares