Promoção Grátis

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Obama enviará reforços ao Afeganistão

Trinta mil homens para a estratégia de saída
O anúncio oficial 26 de novembro"Opção intermediária entre as solicitaçõesos generais e mais prudente "McChrystal: Isso evita falência
ROMA
Ser de cerca de 30 mil reforços que Bush vai enviar para o Afeganistão, manchete esta manhã o site on-line do Telegraph britânico. A decisão por Barack Obama será "revelada nos próximos dias, provavelmente em Novembro 26, Dia de Ação de Graças.
Ao mesmo tempo, o reforço da presença militar e ao uso da força não são as únicas maneiras que você acha que os Estados Unidos para sair do atoleiro do Afeganistão e do Paquistão de hoje revela que um site entre os Estados Unidos eo Talibã "moderados" que já estavam em negociações secretas. O conselho de guerra, a décima de seu tipo, que se realizou ontem à noite, durante duas horas e da qual, oficialmente, "nada aconteceu," ele decidiu enviar para o Afeganistão a partir de 32.000 a 35.000 soldados adicionais, com uma opção intermediária as demandas dos generais no terreno e posições expressas mais cautelosos, em Washington."A questão não é quantas pessoas enviou para lá, mas qual a estratégia a tomar para sair", afirmou antes da reunião, a voz da Casa Branca, Robert Gibbs. No final, o mesmo Gibbs observou que "o presidente tem obtido as informações que precisava e vai anunciar a decisão nos próximos dias."

A hipótese de aumento da presença militar no norte do país está prevista para o pessoal, que os rebeldes têm aproveitado a calma da área a reforçar. Mas o mais provável é para enviar no sul do Afeganistão e Oriental três brigadas do exército e um contingente de fuzileiros navais, de acordo com executivos conscientes do problema. Gen. McChrystal Stanley disse que reforços são necessários para evitar o fracasso das forças E.U. em combate contra os talibãs no Afeganistão.

Ele recomendou o envio de homens 44mila até o final de janeiro de 2010.Enquanto isso, os americanos também a experiência da diplomacia subterrânea. De "negociações secretas entre os E.U. e os talibãs, em Cabul", escreve ele, hoje, "Braimnews", um site em árabe paquistaneses que "goza de alta confiabilidade", como o site online da Arábia Saudita de televisão por satélite Al Arabiya.

Uma fonte citada pelo afegã Cabul "Braimnews" revelou uma reunião "secreta" que teria acontecido recentemente na capital afegã, Cabul. Na reunião que foi realizada "em um local secreto em Cabul, participaram membros do movimento liderado pelos talibãs afegãos Mutawqil Mullah Wakil Ahmed, um ministro dos negócios estrangeiros do Talibã, E.U. embaixador no Afeganistão, general Karl Eikenberry.Segundo rumores filtrados pelo site do Paquistão, o embaixador norte-americano vai propor "a transferência de poder do movimento islâmico nas províncias de Kandahar, Helmend, Orzagan, Kuner e Nurstan. Em troca, os E.U. teria exigido "a cessação dos ataques de suas bases militares no país" centro da Ásia.

O líder do movimento talibã, mulá Omar, foi delegado à reunião por seu representante, o conselheiro, Mullah Brader. Tudo isso acontece enquanto o mpresidente E.U., convocou ontem, o conselho de guerra para decidir sobre suas mãos cheias no Afeganistão.

Fonte: lastampa.it / http://webradiogospel.com/

Obama sends reinforcements to Afghanistan
Thirty thousand men for the exit strategy


The official announcement November 26"Intermediate option between requeststhe generals and the more cautious'McChrystal: This avoids bankruptcy
ROMEBe about 30 thousand reinforcements that Bush will send to Afghanistan, headline this morning the online site of the British Telegraph. The decision by Barack Obama will be "unveiled in the coming days, probably November 26, Thanksgiving Day. At the same time, strengthening the military presence and the use of force are not the only ways you think the United States to get out of the quagmire of Afghanistan and Pakistan today reveals that a site between the United States and Taliban "moderates" were already in secret negotiations. The council of war, the tenth of its kind, which was held last night for two hours and from which, officially, "nothing has transpired," he decided to send into Afghanistan from 32,000 to 35,000 additional troops, with an intermediate option the demands of the generals on the ground and positions expressed more cautious in Washington."The issue is not just how many people sent there, but what strategy to take to get out," he stated before the meeting, the White House spokesman, Robert Gibbs. At the end, the same Gibbs noted that "the President has obtained the information he needed and will announce the decision in the coming days."The hypothesis of increased military presence in the north is expected by the staff, that the rebels have taken advantage of the calm of this area to strengthen. But more likely it is to send in southern and eastern Afghanistan three brigades of the army and a contingent of marines, according to executives aware of the issue. Gen. Stanley McChrystal said that reinforcements are needed to avoid the failure of U.S. forces in combat against the Taliban in Afghanistan. He recommended sending 44mila men by the end of January 2010.Meanwhile, the Americans also experience the diplomacy underground. Of "secret negotiations between the U.S. and the Taliban in Kabul," he writes today, "Braimnews," a Pakistani website in Arabic that "enjoys high reliability ', as the online site of Saudi Arabia Al Arabiya satellite television. A source quoted by the Afghan Kabul "Braimnews" unveiled a meeting "secret" that would have happened recently in the Afghan capital Kabul. In the meeting which was held "in a secret location in Kabul, were participating members of the movement led by the Afghan Talibans Mutawqil Mullah Wakil Ahmed, a former Taliban foreign minister, U.S. ambassador in Afghanistan, General Karl Eikenberry.According to rumors filtered by the Pakistani site, the American ambassador would propose "the transfer of power to the Islamic movement in the provinces of Kandahar, Helmend, Orzagan, Kuner and Nurstan. In return the U.S. would have demanded "the cessation of attacks on its military bases in the country" center of Asia. The leader of the Taliban movement, Mullah Omar, was delegate to the meeting by his representative, the counselor, Mullah Brader. All this happens while the U.S. mpresidente, convened yesterday, the war council to decide on its hands full in Afghanistan.

Fonte: lastampa.it / http://webradiogospel.com/
Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

0 comentários: on "Obama enviará reforços ao Afeganistão"

Postar um comentário

Postagens populares