Promoção Grátis

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O mundo caminha para própria destruição.

Kilimanjaro neve perpétua esgotar-se-á em 2022. As neves do Kilimanjaro, que dão seu nome a um conto de Ernest Hemingway e sua adaptação para o cinema, estrelado por Gregory Peck e Ava Gardner, tem sido um símbolo de romantismo que tomou conta do continente Africano, durante séculos. Mas nos últimos anos tornaram-se também um símbolo da mudança climática.
Um novo estudo do permafrost da montanha mais alta da África, publicado hoje na revista 'Proceedings of the National Academy of Sciences "(PNAS) reforça essa idéia. Os resultados da pesquisa revelam que as geleiras localizadas tanto na cratera nas encostas do cume do Kilimanjaro poderiam desaparecer em 20 anos Se nada for feito para inverter a actual tendência de aquecimento do clima global.
O estudo foi conduzido pelo glaciologista renome na Universidade de Ohio (Columbia, E.U.A.) Lonnie Thompson, uma figura-chave no avanço do conhecimento científico sobre as alterações climáticas, porque foi o primeiro a alertar sobre o recuo rápido do gelo perene nas altas montanhas dos trópicosUm dos indicadores que soou o alarme sobre o aquecimento global. Para aprovação posterior da pesquisa, publicada em artigo de PNAS foi editado por James Hansen, diretor do Instituto Goddard para Estudos Espaciais da NASA e famoso por seu confronto com o governo Bush para forçá-lo a ocultar as causas da mudança climática.
Em 2007, ele tinha perdido 85% do gelo da montanha em 1912 e 26% da neve remanescente, em 2000, desapareceu hoje. "É o primeira vez que pesquisadores calculam que o volume de gelo que se perde em uma geleira de montanha"Diz Thompson." Algumas das pessoas que permanecem em Kilimanjaro perderam metade de sua espessura e em algum momento no futuro do que um ano tem neve e os próximos são completamente desaparecido. "
A pesquisa indicou que algumas das maiores geleiras da montanha, aqueles em Kibo, um dos três cones vulcânicos que formam sua cimeira terá desaparecido em 2022 se não for revertida, a actual tendência de aquecimento. Para evitar isso, a cimeira do clima em Copenhaga e as anteriores sessões de negociação que terá lugar em Barcelona esta semana desempenhar um papel fundamental. Caso contrário, as neves do Kilimanjaro será uma fonte de inspiração para escritores e cineastas.

Fonte: elmundo / Web Rádio Gospel

The world is heading for self destruction.


Kilimanjaro perpetual snow running will be in 2022. The snows of Kilimanjaro, which give their name to a short story by Ernest Hemingway and his film adaptation, starring Gregory Peck and Ava Gardner, has been a symbol of romanticism that swept the African continent for centuries. But in recent years also become a symbol of change.
A new study of the permafrost of the highest mountain in Africa, published today in the journal Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) reinforces this idea. The survey results show that the glaciers located both in the crater on the slopes of the summit of Kilimanjaro could disappear in 20 years if nothing is done to reverse the current trend of global warming.
The study was conducted by renowned glaciologist at Ohio State (Columbia, USA) Lonnie Thompson, a key figure in the advancement of scientific knowledge on climate change because it was the first to warn of rapid retreat of perennial ice in the high mountains of trópicosUm indicators that sounded the alarm about global warming. For subsequent approval of the research, published in the PNAS article was edited by James Hansen, director of the Goddard Institute for Space Studies at NASA and famous for his confrontation with the Bush administration to force him to conceal the causes of climate change.
In 2007, he had lost 85% of the ice of the mountain in 1912 and 26% of the remaining snow in 2000, has disappeared today. "It's the first time that researchers calculate that the volume of ice that is lost on a mountain glacier" says Thompson. "Some of those who remain in Kilimanjaro have lost half of its thickness and at some point in the future than a year has snow and the next are completely gone. "
The survey indicated that some of the largest mountain glaciers, those in Kibo, one of three volcanic cones that form its summit will be gone by 2022 if not reversed, the current warming trend. To avoid this, the climate summit in Copenhagen and the previous negotiating sessions to be held in Barcelona this week to play a key role. Otherwise, the snows of Kilimanjaro will be a source of inspiration for writers and filmmakers.

Fonte: elmundo / Web Rádio Gospel
Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

0 comentários: on "O mundo caminha para própria destruição."

Postar um comentário

Postagens populares